Quem domina, macho ou fêmea?

Hora do recreio.

Pra quem acha que o nosso trabalho é muito sério ou mesmo sisudo, eu resolvi promover um momento de recreio, fazendo uma pergunta que frequentemente se repete: quem domina a relação, o homem ou a mulher?

Bom, eu posso dizer que a mulher consegue enganar mais o homem do que o homem enganar a mulher. Mas sobre isso eu vou falar em outra oportunidade.

Por enquanto eu vou apresentar a vocês uma prova de que, pelo menos no mundo dos denominados irracionais, a fêmea domina em muitas espécies.

E existem coisas incríveis. Tão incríveis que você não vai nem acreditar. Algumas são até engraçadas. E outras são trágicas.

Animal promíscuo?

Quando você passa no zoológico e vê o macaco fazendo aquelas molecagens e até simulando atos obscenos, a primeira coisa que se ouve é que o macaco é um animal sacana. Aliás, uma expressão bem dos humanos. Que mostra também o quanto os humanos são precipitados em suas conclusões. E com base também na conclusão dos humanos podemos dizer que a fêmea é que está com a macaca. Ou seja: que apesar de todas as macacadas do macho, é a macaca a mais sacana. E a que mais apronta também.

Pois é. As fêmeas do chimpanzé são aquelas que os humanos costumam chamar de promíscuas. Livres da educação repressora dos seres humanos, elas é que vão atrás dos machos sem o menor pudor. E não são nada monogâmicas. A cada nova ovulação, elas acasalam com vários machos. E dessa forma contribuem com a preservação da espécie, tendo vários filhotes,  numa época em que os pobres coitados dos macacos estão sendo injustamente perseguidos como se fossem os responsáveis por propagar a febre amarela.

Vários machos

Quem também cai na gandaia são as perdizes e as emas, que transam com vários machos. E mesmo depois de colocar os ovos elas saem de novo atrás de novos parceiros. É o tipo de animal que o tal ser humano julgaria como devasso. E as perdizes e as emas ainda deixam por conta do macho cuidar dos filhotes, mesmo os que não são dele.

Outra que reina absoluta é a hiena pintada.

As hienas são maiores e mais agressivas do que os machos e possuem até um pseudopênis, que, na verdade, é um clitóris dilatado que mede quase 15 centímetros. Os humanos as chamariam de hermafroditas não assumidas com um grelo enorme, pra ser mais específico em relação à linguagem chula tantas vezes usada pelos chamados racionais.

Sodoma e Gomorra

As hienas pintadas dão uma de fêmea alfa e mostram esse pênis ereto para as outras fêmeas, com quem praticam pseudo cópulas, com ou sem penetração. Uma verdadeira orgia tipo Sodoma e Gomorra.

Com o cavalo marinho a natureza foi mais madrasta ainda. No ato sexual, a fêmea do cavalo-marinho deposita os óvulos numa bolsa localizada na frente da barriga do macho. É nessa barriguinha de aluguel localizada no macho que os óvulos  são fecundados pelos espermatozoides. A sorte dos cavalos marinhos é que entre eles não foi detectada ainda a existência de homofóbicos. Se não, eles estariam lascados.

Quer ver agora um autêntico clube da Luluzinha, onde existem apenas fêmeas? Vá aos Estados do Arizona e do Novo México, nos EUA, e dê um alô para o chamado lagarto do deserto. Aliás, lagartas, que chegam a se reproduzir por meio de uma pseudocópula. Seria uma transa falsa,  pela qual é estimulada a produção assexuada de ovos, sem fertilização. E mesmo assim nascem os filhotes, todos fêmeas. Não me pergunte como isso pode acontecer. Eu me ocupo de sexualidade, comportamento e relacionamento entre os chamados seres humanos. Procure um biólogo que estude os ditos irracionais.

A coisa começa a ficar dramática entre as formigas de fogo, que se encarregam de regular a quantidade de machos e de fêmeas na colônia.

As operárias matam os machos quando ainda estão no estágio de  larvas, e a formiga rainha controla o acesso aos espermatozoides. Daí, por meio de um complicado fenômeno que novamente você precisa recrutar um biólogo para te explicar, nascem machos e fêmeas.

A Rainha devassa e os machos capados

Outro ambiente dramático é o das abelhas domésticas, onde apenas a rainha se reproduz. As abelhinhas compram briga entre elas para disputar a chance de ser inseminada por 15 ou mais machos um atrás do outro e em seguida  botar até 3 mil ovos por dia. E é o macho que acaba se ferrando. Logo depois de fecundar a rainha, seu órgão genital se solta dentro da parceira e ele morre. Isso mesmo, morre literalmente capado. Triste destino. Mas a cena dramática não acaba aí. Outro macho se aproxima da rainha, e remove aquele pedaço do genital e parte pro sacrifício depois da transa. E assim sucessivamente, em várias sessões de sexo que sempre terminam com o macho capado e morto.

Essa estranha orgia da rainha devassa e aparentemente assassina serviria para fortalecer a prole devido ao fato de ela ter sido inseminada por tantos machos, tornando as abelinhas que nascem mais resistentes a doenças.

Mas não passe a agir com o vício dos chamados humanos, precipitando-se em julgar os pobres animaizinhos. Afinal, como se diz acertadamente: a natureza é sábia. Burro é o ser humano que se nega a entender a natureza e chega ao cúmulo de destruí-la.

A hora do recreio acabou. Estude neste site e no canal no YouTube tudo o que diz respeito a sexualidade, comportamento e relacionamento em alto nível, para aprender a ser feliz com o que a natureza proporcionou a você de bom e quer que você desfrute com a máxima dignidade.

 

Deixe aqui o seu recado

Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.