Mentira do dia a dia não se torna verdade e produz danos

Mentira do dia a dia não se torna verdade e produz danos

Existe uma famosa frase de que uma mentira repetida mil vezes acaba virando verdade.

Mas isso não é verdade.

Sem trocadilho: essa frase que acabamos de dizer pode até servir no campo político, porque algumas pessoas se deixam enganar pelo discurso mentiroso de alguns políticos.

Mas nisso não está a força da mentira, mas sim a fraqueza de quem ouve a mentira e se deixa enganar, até por conveniência.

Sim, porque algumas pessoas fazem com que a mentira passe a ser parte da sua própria existência.

Mentem tanto que tentam convencer a si mesmas de que todo mundo acredita.

E mentem até por motivos fúteis, quase infantis, mas que podem provocar muito dano. Sim, algumas pessoas agem como crianças que acham que precisam fazer as coisas escondido.

Mas a mentira é prejudicial nos relacionamentos humanos por vários motivos.

E algumas pessoas vivem de pequenas mentiras acreditando que serão felizes assim.

No mundo hipócrita em que vivemos, isso até pode ser verdade.

Novamente sem trocadilho.

Mas é preciso lembrar o seguinte: uma mentira é maléfica por diversos motivos. E nos relacionamentos pode se tornar fatal.

(Assista ao vídeo ou continue lendo logo a seguir)

Mentira, principalmente a mentira que se repete por várias vezes, significa perda de credibilidade, quebra de confiança. E nenhum relacionamento, seja ele amoroso ou social, sobrevive sem que você confie na pessoa com quem você está se relacionando.

A menos que, como já dissemos, você acabe se transformando numa pessoa que faça de sua própria vida  uma sucessão de mentiras. E existe muita gente assim.

Ou você não conhece falsas amizades, falsos amores?

O mundo está cheio disso.

Outra desvantagem da mentira é que ela é muito fácil de identificar.

A nossa boca pode tentar mentir, mas o nosso corpo nos trai, porque existem muitos sinais que revelam ou denunciam uma mentira. E o nosso subconsciente nunca mente.

A Programação Neurolinguística, ou PNL, já se debruçou há algum tempo sobre o estudo desses sinais.

Aliás, se você quiser conhecer um pouco mais sobre PNL visite o canal Recado Secreto para assistir a um vídeo gratuito de uma pessoa que aborda com muita propriedade a questão da linguagem nos relacionamentos.

Não pense que ele vai ensinar você a mentir, mas, ao contrário, irá mostrar como você pode convencer uma pessoa sem precisar apelar para mentiras, apenas utilizando adequadamente a linguagem, algo que poucos dominam.

Outra das inúmeras desvantagens da mentira é que ela não resiste ao tempo.

Fatos posteriores à mentira acabam desmentindo o mentiroso. É incrível a insistência com que isso acontece, e quando se torna muito frequente, ninguém mais acredita naquela pessoa.

Aristóteles, o filósofo, já dizia isso lá pelo ano 318 antes de Cristo, observando que ninguém acredita num mentiroso mesmo que ele esteja dizendo a verdade.

O curioso é que existem mentirosos e mentirosas que se ofendem porque você se incomodou com a mentira delas. Seria então o caso de dizer: “Me perdoe pela SUA mentira”?

Existem pessoas que acreditam que a mentira pode proteger do ciúme, mas o ciúme se mistura com indignação quando o mentiroso é desmentido ou descoberto, e aí mesmo é que a desconfiança aumenta ou até resulta no fim de um relacionamento.

É lógico que quando é daqueles ciumentos ou ciumentas acima do normal, mesmo a verdade, em algumas circunstâncias, pode complicar.

Mas é algo que se resolve num diálogo, coisa meio rara hoje em dia.

Prefira uma verdade que precise ser explicada a uma mentira sem explicação.

Uma pessoa às vezes mente com medo da reação da pessoa a quem é dirigida a mentira. Mas a reação diante da descoberta da mentira é sempre pior do que se fosse dita a verdade. E as consequências também.

Ainda mais se a mentira descoberta acaba levando a pessoa vítima da mentira a se indagar se se preocupou em demasia com a pessoa que lhe mentiu, o que irá fazê-la concluir que essa preocupação foi demasiada ou imerecida, ainda que considere essa preocupação legítima por ter sido reflexo de seu sentimento de solidariedade.

Porque afinal a verdade hoje parece valer menos do que o sentimento de solidariedade que dá origem a preocupações, daí a palavra de alguns psicólogos que recomendam sempre alguma dose de egoísmo, no bom sentido, em nós mesmos, por mais que queiramos rejeitar esse pensamento, embora alguns acontecimentos acabem nos revelando isso como verdade.

Ou, em resumo, como sempre costumamos repetir: uma verdade ruim é melhor do que uma mentira boa. Porque a mentira, por mais que esteja vestida de algo bom, mais cedo ou mais tarde irá ser desmentida e irá se transformar em algo ruim.

A escritora francesa Anais Nin, que tem sua história de vida ligada ao famoso escritor norte-americano Henry Miller, dizia que a origem da mentira está na imagem idealizada que temos de nós próprios e que desejamos impor aos outros.

Isso é muito fácil de perceber quando somos flagrados numa mentira e, para nos defendermos, atacamos a pessoa a quem contamos uma mentira, atribuindo a ela uma imagem que na verdade é nossa.

E resumindo bem essa história, repetimos aqui uma frase, como sempre carregada de ironia, que é atribuída a Millôr Fernandes: Jamais diga uma mentira que não possa provar.

E lembre-se sempre: tanto no amor como na amizade, as pessoas querem a verdade, e não a mentira. Até como forma de saberem se aquele amor e se aquela amizade são sinceros.

E mentira é dessas coisas que não combinam com sinceridade. Pode até servir como auto-defesa, é lógico, porque você não vai dizer a um assaltante quanto de dinheiro você tem no banco. Pode servir de proteção contra violência, mas nada disso tem a ver com amor ou amizade. São coisas bem diferentes.

No amor e na amizade, aposte sempre na verdade. Você vai sempre sair ganhando.

Deixe aqui o seu recado

Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.