Quando a homossexualidade pode se tornar educativa

Quando a homossexualidade pode se tornar educativaVocê está entre os que ficam literalmente em pânico quando aparece algum homossexual diante de você e dos seus filhos? Pois então vamos lhe dizer quando a homossexualidade pode se tornar educativa.

Leia até o final. E entenda…

Quando a homossexualidade pode se tornar educativa

A versão apresentada durante uma entrevista de um candidato, de que um suposto kit gay havia sido distribuído nas escolas, já tinha sido desmentida pelo Ministério da Educação em 2016.

Outra informação falsa foi a da realização de um suposto Nono Seminário LGBT Infantil para se referir ao que foi, na verdade, o Nono Seminário LGBT sobre o tema infância e sexualidade.lgbt

Muitas mentiras são contadas em relação ao debate sobre homossexualidade no Brasil. E até seminários que são realizados para adultos, com a participação de especialistas em Direito, Educação, Sexualidade, Psicologia e Cultura, são bombardeados pela versão mentirosa de que os participantes eram crianças.

Eram, na verdade, adultos dispostos a aprender quando a homossexualidade pode se tornar educativa.

Pergunta que tem a ver

Uma das perguntas que surgem é a seguinte: devemos acreditar em tudo o que ouvimos, especialmente numa disputa presidencial, em que os candidatos mentem sem o menor pudor? (E pudor aqui não tem nada a ver com sexualidade… risos).

lésbicasMas, evidentemente, todos sabemos que este site é sobre sexualidade, comportamento e relacionamento. E é sob esse prisma que nos propomos a explicar quando a homossexualidade pode se tornar educativa.

Vamos procurar ser didáticos, como sempre, para que ninguém confunda o que estamos dizendo.

O discurso dos homofóbicos

Qual é o discurso comum aos homofóbicos? Dizer que a homossexualidade pode ser adquirida por imitação ou por modismo. Ou seja: ao ver dois homossexuais se relacionando, isso seria um risco, pensam eles, de uma criança se tornar homossexual.

Se é esse o seu medo, de que seu filho se torne gay por ver outros gays, aproveite para ensinar ao seu filho o que significa a palavra personalidade. Ou seja: no íntimo, por mais que você não queira demonstrar um pensamento preconceituoso, pode ser impossível mudar o seu pensamento preconceituoso. Porque atitudes até podem ser mudadas. Já mudar o pensamento, é difícil, porque ninguém controla pensamento. Mesmo quem pensa… (risos)família gay

Então, você pode ensinar ao seu filho que ele deve ser o que ele é, e não querer imitar o que os outros são.

Para o bem e para o mal

Isto pode ser visto até como algo preconceituoso também, porque ficaria parecendo que você está ensinando a ele que “não deve ser gay”. Mas explique da forma certa: personalidade é sermos o que somos, e não tentarmos ser por imitação ou por modismo, como é o que parece contaminar a cabeça dos preconceituosos.

E isso serve para o que julgamos que é bom ou o que julgamos que é ruim, conforme o pensamento de cada um.

Quer outro exemplo, mesmo fora do tema sexualidade? Você já percebeu o quanto é constrangedor e desagradável ver pessoas de baixa condição social quererem ser ricas sem serem? Ou apelarem para modismos e gastarem até o que elas não têm só para se dizerem na moda?

Todo cuidado é pouco

todo amor merece respeitoPode até ser difícil ou até perigoso dizer isso, pois pode parecer uma forma de acentuar o preconceito, mas você vai ver que não é.

Não há nada demais no fato de as pessoas serem ricas. Existem ricos bons e ricos ruins, assim como existem pobres bons e pobres ruins.

E também não existe nada de errado no fato de as pessoas quererem andar na moda, se tiverem condições financeiras para comprarem o que está na moda, desde que não prejudiquem ninguém.  Nem os filhos, evidentemente, com gastos que não têm condições de fazer.

Assim, do mesmo jeito, ser gay pode lhe parecer ruim. Mas para o gay não parece que seja algo ruim. Só passa a ser ruim quando ele é humilhado, espancado ou mesmo assassinado pelos homofóbicos.

Aceitar não ser igual…

O que está errado é a pessoa não ter personalidade. E não ter personalidade significa não apenas querer imitar o outro, mas também não aceitar que o outro seja diferente de você. Significa não aceitar as diferenças, o que leva a todos os preconceitos. Incluindo também, evidentemente, o racismo, que é uma das formas mais execráveis e repugnantes de preconceito.

Ter personalidade é respeitar as diferenças, a diversidade. É respeitar aquele que é diferente de você.

A lição de casa

Ensine isso ao seu filho. Porque, assim, ele só vai ser gay se for gay mesmo, e não por imitação. E vai aprender a respeitar também as diferenças, o que vai facilitar para que ele não seja um preconceituoso ou um homofóbico.

É hora de perceber quando a homossexualidade pode se tornar educativa.

E aí você vai me perguntar: mas então eu vou estar ensinando os meus filhos a não tentarem imitar os vitoriosos?

Meu caro e minha cara: seu filho nunca vai ser um vitorioso por imitação, por mais que ele tente. Assim como ele nunca vai ser gay por imitação, por mais que ele tente.

Quando querer é só querer

gay sambaSe ele não tiver um pingo sequer de personalidade, ele até pode querer imitar, mas não vai conseguir. Assim como ele também jamais será um vitorioso se for alguém sem personalidade querendo apenas imitar um vitorioso. Jamais vai conseguir.

Ensine isso ao seu filho. E a todos os homofóbicos e preconceituosos.

Porque, se todos aprendermos a respeitar a diversidade, o mundo vai ser muito melhor para todos.

 

Leia sobre relacionamento no blog PegSeuEbook

Deixe aqui o seu recado

Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.