Impotência sexual não pode ser curada com milagres

broxou

Não adianta negar: tempo vai, tempo vem, e a maior preocupação dos homens continua sendo a impotência sexual.

A grande questão é: como agir?

Existem inúmeros artigos e vídeos na internet sobre esse tema, mas a insegurança faz com que muitos homens até duvidem do que estão lendo e ouvindo, e a própria angústia diante do problema faz com que essa situação se agrave.

Nós mesmos já abordamos essa questão, informando, por exemplo, como sanar o problema sem precisar recorrer às famosas pílulas que facilitam a ereção.

Neste vídeo estão as explicações contidas neste artigo, que você pode continuar lendo mais adiante, se preferir. E no vídeo estão também os links para mais dicas.

É preciso levar em conta a idade em que a chamada disfunção erétil ocorre.

Os medicamentos batizados de pílulas azuis estão sendo utilizados cada vez mais por homens jovens devido à insegurança, até porque a disfunção muitas vezes começa a ocorrer muito cedo, por volta dos 35 anos ou um pouco mais.

Não seria correto dizer que disfunção erétil aos 35 anos é “normal”, mas já é possível dizer que é previsível, devido ao estilo de vida e a deficiências de alimentação, entre outros fatores.

Mas disfunção erétil aos 18 anos, por exemplo, não pode ser considerada normal nem previsível. Convém dizer também que, se é o seu caso ou de alguma pessoa que você conhece, você não deve se alarmar por antecipação.

Só não dá pra te iludir: se for esse o caso, você precisa ir ao médico. Porque, se ficar tentando repor seus índices de testosterona, por exemplo, não vai adiantar nada se os seus níveis estiverem normais, e você vai se preocupar mais ainda, o que só vai agravar sua situação.

E aqui é preciso explicar uma coisa muito importante. As pessoas falam que a disfunção erétil pode ser também por “causas psicológicas”, mas na verdade essas causas psicológicas surgem a partir das primeiras ocorrências da disfunção erétil, porque geram a preocupação com a relação sexual seguinte, o que resulta em angústia e no abalo emocional devido ao medo de novo fracasso. E essa excessiva angústia, aí sim, abala o homem psicologicamente, o que pode contribuir ou agravar a possibilidade de a impotência ocorrer.

E é exatamente essa insegurança que está levando alguns homens a sempre tomarem essas pílulas antes das relações, mesmo que eventualmente nem precisem delas. Ou seja: o medo do fracasso. Em linguagem popular: o medo de broxar.

Mas as causas, e esse alerta serve principalmente para esses homens na faixa etária de 18 anos ou um pouco mais, que já começam a sentir o problema ou estão enfiados até a cabeça, sem trocadilho, no drama da disfunção erétil, as causas, repetimos, podem ser orgânicas.

Vamos lá: você tem que saber se não é diabético, se tem insuficiência renal, se é hipertenso, se tem problemas cardiovasculares, porque são problemas orgânicos que podem, sim, também afetar os jovens e, como no caso do diabetes, para citar apenas um exemplo, você já pode ter nascido com esse mal, pois existem dois tipos: o congênito e o adquirido.

Problemas no seu órgão sexual, como cistos, tumores, fibrose, deformidades, também pode contribuir para o surgimento da disfunção erétil.

E mais:

Problemas na circulação sanguínea, que impedem ou dificultam a irrigação do pênis na hora da relação.

Enfim, as causas são inúmeras. E aqui ainda não estão todas elas.

Você também tem que dizer ao seu médico se você já consumiu drogas, medicamentos pesados para depressão, por exemplo, ou se fez algum tratamento prolongado com algum tipo de remédio.

Alcoolismo, tabagismo e obesidade também afetam o seu desempenho, mas isso você vai saber mesmo sem ir ao médico.

Só que, como já dissemos, não pode deixar de ir.

Na verdade, mesmo as pessoas mais velhas devem recorrer ao médico em caso de impotência, porque, por exemplo, é indispensável medir eventuais problemas hormonais, como os baixos índices de testosterona.

Fizemos questão de recomendar essa consulta com mais severidade aos jovens, porque evidentemente, como já dissemos, não é esperado que esse problema surja numa fase da vida em que a frequência das relações é maior, bem como o vigor e a duração das ereções.

Não se sinta envergonhado, não dê ouvidos a gozações. Muitos dos que fazem ironias não são esses super-homens que eles fingem ser.

Vá ao médico e cure-se. A medicina dispõe hoje de recursos cada vez maiores e mais aprimorados para o seu tratamento.

Boa sorte.

Deixe aqui o seu recado

Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.