Seja quem você é. E o resto se arruma

Seja quem você é. E o resto se arruma

Eu convivi durante um tempo em minha vida com uma pessoa que me disse que não gostava de tomar certas atitudes porque estava preocupada com o que os outros iam dizer.

O problema é que, quando você faz ou deixa de fazer as coisas preocupado com que os outros vão pensar ou dizer, você não é você mesmo (a), você é aquilo que você pensa que as pessoas querem que você seja.

E você acaba não sendo ninguém.

Acaba não sendo ninguém porque:

Você acaba não sendo quem você é.

E acaba não sendo o que os outros querem que você seja:

Porque as pessoas são diferentes umas das outras, e você não vai conseguir ser o que as outras pessoas querem que você seja, porque cada uma delas vai querer que você seja de um determinado jeito.

E aí, o que você vai ser?

Do jeito que cada um quer?

Diante do que cada um quer que você seja?

Então você não vai ser ninguém.

Tem outras coisas que as pessoas confundem:

Ser quem você é não significa rejeitar mudanças em você mesmo ou em você mesma.

Significa apenas não mudar porque os outros querem, mas sim mudar quando você percebe que quer ou que precisa mudar.

Então, novamente você não vai mudar por causa dos outros.

Mas sim por causa de você mesmo ou de você mesma.

(Assista ao vídeo ou continue lendo mais adiante)

Exemplo típico: você quer o tempo todo ser de um jeito, mas percebe que, do jeito que você é, só tá levando porrada da vida.

Então, nesse caso você não está sendo autêntico ou autêntica, está sendo burro, ou burra.

Porque se você não vai mudar porque os outros querem que você mude, isso é uma coisa.

Mas se você não vai mudar mesmo sabendo que é isso que você quer ou que você precisa para ser mais feliz, isso não é sabedoria, é burrice.

Preste bem atenção:

Ser o que você é não significa que você não deva ser o melhor que você pode ser.

Do mesmo jeito, se você faz as coisas apenas para impressionar os outros, novamente você não está sendo o que você é, mas sim está apenas fazendo isso em função do que você acha que os outros querem que você seja.

Enfim, se você quer pintar seu cabelo de roxo porque deu vontade, porque você acha bonito ou porque você sente que vai se sentir bem, então você está sendo você mesma ou você mesmo.

Mas se você pinta o seu cabelo de roxo pensando no que as outras pessoas vão dizer ou achar, você não está sendo quem você é, mas sim procurando ser o que os outros querem que você seja, ou o que os outros não querem que você seja, e aí você pinta o cabelo de roxo só para incomodar aquela pessoa. Então você está agindo em função de você ou em função da pessoa que você quer incomodar?

Pense nisso e dê você mesmo, ou você mesma, a resposta.

Em síntese: Pensar que é quem você não é não adianta. Você não é e nunca vai ser o outro. E acaba não sendo você mesmo. Ou você mesma.

Quanto a mudar para ser melhor, tem quem precise de uma tragédia para conseguir isso. Tem quem precise apenas de uma decisão.

Agora, faça um teste com você mesmo ou com você mesma. Veja se você está sendo quem você é.

Você disputa com outra pessoa?

Tipo assim: ela faz ou diz uma coisa e você faz ou diz alguma coisa em resposta ao que ela fez ou disse.

Então, repetindo a pergunta: você disputa com outra pessoa?

Se a resposta é sim, pense bem:

Você sente alguma coisa por essa pessoa!

Resta apenas descobrir o que é que você sente.

E assumir o que você sente por essa pessoa.

Só assim você estará sendo quem você é.

Então, tire a máscara.

E seja você mesmo. Ou você mesma.

O resto se arruma.

Deixe aqui o seu recado

Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.