Disputa no amor só traz dor…ou risos

Esse tema é bem diferente, e eu estranhei por não ter visto praticamente ninguém falando sobre isso na internet. Afinal de contas, acontece com uma frequência imensa nos relacionamentos.

Aliás, dois temas ficam praticamente lado a lado quando a relação chega a esse ponto: a disputa e a mentira.

Então, se você não quer passar por isso, preste atenção.

A disputa acontece quando ninguém quer dar o braço a torcer. E a mentira acaba sendo uma companheira da disputa porque serve como elemento auxiliar da disputa.

Muitas vezes duas pessoas se separam e um dos dois, ou os dois, não admitem que a separação não está superada. E normalmente isso ocorre porque a própria disputa causou a separação e continua sendo praticada depois da separação.

E quando acontece essa disputa durante a relação? Quando não há parceria, o que pode significar também falta de companheirismo.

E mais: quando um contesta o outro sem convicção, só por provocação.

Falar e ouvir

A disputa acontece quando um ou os dois não entendem que disputar é para os adversários e não para duas pessoas que, pelo menos em princípio, devem fazer uma parceria para que as coisas deem certo.

Quando um quer convencer o outro em vez de ouvir. Ou quando os dois não estão interessados em ouvir, mas apenas em convencer. Mas é fato também que sempre um dos dois é mais teimoso em não ouvir.

Nessas ocasiões surge uma atitude avassaladora na relação: o deboche. Muitos estudiosos do relacionamento humano consideram o deboche como uma das mais graves agressões, pois o objetivo é sempre diminuir ou humilhar o outro.

Quem não debocha

É preciso notar que a falta de argumentos e de conhecimentos é que leva ao deboche. Porque, quem tem argumento e conhecimento não precisa debochar, mas costuma se tornar a maior vítima de quem debocha por não ter conhecimento.

E esse deboche normalmente vem logo após a manifestação de um conhecimento ou argumento que o outro ou a outra não tem como contraditar, exatamente por falta de conhecimento e de argumento. E aí responde com deboche.

Quem mente

A mentira sustenta a disputa. Ambos, homem e mulher, querem esconder seus sentimentos e mentem para manter a disputa ou o disfarce.

Até porque essa separação pode resultar, como já dissemos, de uma disputa que acontecia antes que o casal venha a se separar.

Há pessoas que se relacionam com outras após a separação não porque gostem dessa outra pessoa, mas para manter essa disputa, tentando mostrar ao outro que saiu vencedor ou vencedora nessa disputa.

É uma das formas de usar a mentira como holofote.

Desculpas contraditórias

O mais engraçado (ou será triste?) é que chega a fase das desculpas esfarrapadas. Em um momento as coisas não podem ser feitas por um motivo. No momento seguinte, não podem ser feitas por outro motivo, completamente diferente, e que normalmente até desmente o motivo anterior. É porque chegou a fase cômica, que provoca risos. São pessoas que não conseguem ser verdadeiras, ou seja, não conseguem ser elas mesmas. E que acabam mentindo tanto que se tornam caricatas, e nos casos mais agudos se tornam até ridículas.

Há quem chegue mesmo a se casar com quem acaba servindo apenas como escudo ou como elemento dessa disputa. E não conseguem ser felizes. Pior para essa pessoa que acabou sendo feita de escudo, porque vai se transformar numa vítima do mau humor ou da insatisfação, ou dos recalques e até da sensação de felicidade incompleta ou mesmo de infelicidade nessa nova relação.

Ninguém nasceu para ser escudo. E casal nenhum que é casal de verdade pode disputar numa relação, pois têm que ser aliados e não adversários.

A disputa significa que a pessoa quer sair vitoriosa. E a mentira é uma forma de trapacear nessa disputa.

Já a verdade não vem porque ninguém quer sair com a sensação de derrotado porque seria reconhecer que o outro venceu.

E nesses casos vem o medo de que o outro domine nessa relação, o que significa que essa disputa irá prosseguir. Ou significa que ambos têm medo de que prossiga. Ou apenas um dos dois tem esse medo, pois isso também acontece.

Nem disputa, nem mentiras

Quando uma separação é superada não precisa haver disputa, nem mentiras, porque não haverá ciúmes nem vontade de provocar ciúmes.

Quando existe ciúme é porque ainda existe paixão ou até mesmo amor, ainda que o orgulho não deixe admitir. Ou o medo de que o outro supere na relação, o que comprova que ainda existe a sensação da disputa.

Quando não existe amor, nem paixão, não existe disfarce nem mentira e nem disputa. Tampouco chantagem. Ou pequenas chantagens. Ou pequenas e grandes mentiras.

Sem medo da derrota

Sabemos que todos aqui o que desejam mesmo é solução para as suas dores.

Então, a melhor alternativa é sentar e conversar. Para que não haja mentira, nem disputa, nem vontade de provocar ciúmes ou de esconder esses ciúmes.

Porque assim não haverá medo da derrota, porque não haverá disputa.

E também não haverá mentiras pela absoluta falta de disputa que torne a mentira mais um acessório que serve de escudo.

Então, para que sua relação dê certo, se é isso que você quer, não dispute e, consequentemente, não minta.

Não fique encucado com a derrota, mesmo que ela venha de uma vez. Derrota é como o fracasso. Devemos aprender com ambos. E se você se levantar após cada derrota, isso significa uma vitória a mais em sua vida.

Por isso, lute sempre, mas com você mesmo ou você mesma. O que significa: não dispute com o outro ou a outra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *